terça-feira, 31 de março de 2009

BRASIL PODE TER MAIOR RESERVA DE URÂNIO DO MUNDO

Li hoje no site do jornal de Santa Catarina "O Barriga Verde":

“O Brasil pode alcançar o topo da lista dos países com as maiores reservas de urânio do mundo. A informação foi dada pelo Contra-almirante da Marinha do Brasil, Carlos Passos Bezerril, durante almoço com mais de 600 empresários no Fórum de Temas Nacionais da ADVB-SP (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil) realizado em São Paulo. Segundo Bezerril, apenas 30% do território nacional foi prospectado até então, fazendo com que o Brasil fosse classificado como a sexta nação mais rica em urânio no mundo. "Atualmente contamos com 309 mil toneladas, mas há a estimativa de que tenhamos mais 800 mil toneladas, o que fará do Brasil a primeira ou a segunda reserva do mundo", explicou o representante da Marinha. A palestra teve como tema a produção de energia nuclear com tecnologia nacional e a construção do primeiro submarino atômico brasileiro.

Para o Brasil, tomar conhecimento da capacidade de sua reserva de urânio significa ter acesso à matéria-prima necessária para a produção de energia nuclear. "Poderemos aumentar a participação da matriz nuclear na matriz energética do Brasil", enfatizou Bezerril. Cerca de 16% de toda a energia elétrica do mundo vem da fonte nuclear. No Brasil, 85% vem de fonte hidrelétrica.

"A Marinha brasileira está na vanguarda, precursora da tecnologia, da pesquisa, liderando estudos fundamentais para a defesa brasileira para fins pacíficos, para a indústria, a agricultura, setores variados da economia e também para a medicina nuclear", enfatizou o ex-governador de São Paulo e atual secretário de desenvolvimento do Estado, Geraldo Alckmin, presidente de honra da solenidade de abertura do Fórum.

Durante o almoço realizado pela ADVB-SP, Bezerril informou aos empresários que o Brasil já tem o domínio completo do ciclo do combustível nuclear e agora avança em direção à tecnologia necessária para a construção dos reatores destinados à geração da energia. O contra-almirante reforçou também que os trabalhos de pesquisa relacionados à energia nuclear podem ser realizados com a parceria da iniciativa privada. Na ocasião, informou ainda que a parceria que está sendo negociada entre a Marinha do Brasil e a França prevê a construção de quatro submarinos convencionais e um submarino nuclear.

SOBRE A ENERGIA NUCLEAR

De acordo com a Marinha do Brasil, em texto publicado em seu portal na internet, o https://www.mar.mil.br/pnm/pnm.htm, a energia nuclear é uma fonte de energia firme e limpa, não emite gás poluente para a atmosfera, utiliza em sua construção um número reduzido de materiais (por kWh) se comparada com a energia solar e eólica, produz pequena quantidade de rejeitos, e não contribui para o efeito estufa, pois não emite dióxido de carbono (CO2), ao contrário do carvão, petróleo e gás; além de não necessitar dos grandes reservatórios (com seus decorrentes problemas ambientais) das hidroelétricas. Única alternativa viável, para a maior parte dos países, para suprir a crescente demanda por energia ante a futura escassez dos combustíveis fósseis, não é sem razão que a maior concentração de usinas nucleares encontra-se nas principais regiões consumidoras de energia do mundo.

Ainda segundo as informações publicadas no portal da Marinha na internet: "Como resultado de grande esforço nacional, o Brasil tem capacidade de fabricar o próprio combustível nuclear, sem nenhuma dependência externa, e o conhecimento para projetar e construir plantas nucleares de potência, que custam no mercado internacional acima de três bilhões de dólares cada".”

2 comentários:

Unknown disse...

A bomba atômica mais poderosa do mundo está na Rússia com 50.000 megatons o Brasil tem a capacidade de fazer uma de 500.000 megatons, aí fica aa dúvida, o mundo só tem guerra ultimamente acho que já chegou a hora do Brasil entrar no eixo de ser um país portador de bombas atômicas e se igualar as potências de verdade, porém como somos inferiores em muitos quesitos, é capaz dos políticos roubarem a bomba e enfiar na cueca e acabar explodindo o próprio país.

Tereza Braga disse...

Ao Unknown,
Como você sabe, é indispensável para o Brasil produzir combustível nuclear para o seu consumo, construir e operar suas plantas de energia nuclear, utilizar energia nuclear para mover submarinos, para a produção de fármacos, para a conservação de alimentos e milhares de outras aplicações. Isso não significa querer ter bombas atômicas. Ainda não sei se seria bom para o Brasil possuí-las. Creio que não. Há vantagens, mas também muitas desvantagens econômicas e políticas em ter poderio bélico nuclear. Decisão muito mais difícil e complexa seria utilizar bombas atômicas em conflitos. Os EUA são até hoje o único país que teve a "coragem" de lançá-las, e sobre alvos civis desarmados, matando centenas de milhares em poucos segundos. EUA, Rússia, França, Inglaterra, China, Índia, Paquistão, Coreia do Norte, Israel as possuem, mas não sei se por isso estão mais protegidos ou vulneráveis.
Maria Tereza