sexta-feira, 26 de março de 2010

LULA: GUERRA DO IRAQUE FOI FRUTO DE MENTIRA CONTADA PELAS GRANDES POTÊNCIAS

"Lula: não quero que se repita no Irã o que aconteceu no Iraque

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, quinta-feira (25), que vai continuar defendendo que o Irã tenha o direito de enriquecer urânio para a produção de energia e o uso medicinal e garantiu que não vai se omitir na disputa que coloca os iranianos em confronto com os Estados Unidos e a União Europeia.

“Vocês já sabem da quantidade de crítica que eu tenho recebido porque tomei a decisão de receber o presidente (Mahmoud) Ahmadinejad. E tomei a decisão de ir ao Irã. Eu vou lá porque não quero que se repita no Irã o erro que se cometeu no Iraque”, disse ao ser homenageado em jantar promovido pela comunidade árabe, em São Paulo.

Na avaliação do presidente, a guerra contra o Iraque foi fruto de uma “mentira” contada pelas “grandes potências” [e cerca de um milhão de iraquianos morreram por conta dessa mentira]. "Até agora estamos esperando as armas químicas que diziam que haveria lá", declarou.

Lula afirmou que tentará mediar as divergências entre a nação islâmica e os países que discordam do programa nuclear iraniano. “Nós vamos juntar todas essas preocupações [do Brasil e de outros países] para dizer ao presidente Ahmadinejad: nós queremos paz”.

Lula disse ainda que defenderá o direito do Irã enriquecer o urânio para fins pacíficos, mas deixará claro que é contra o uso da tecnologia nuclear para a produção de armas. “Vou lá para dizer ao presidente Ahmadinejad, em Teerã: 'sou contra você querer fazer armas nucleares, mas sou favorável a você enriquecer urânio como o Brasil enriquece para produzir energia elétrica'”.

No seu discurso, o presidente também cobrou uma participação mais ativa da Organização das Nações Unidas (ONU) em favor da paz no Oriente Médio. E ressaltou que o Brasil pode ter um papel importante na mediação de conflitos na região.

"Fulano tira fotografia com sicrano, ganha prêmio da paz com beltrano, ou seja, cada dia tem um probleminha a mais. Não haverá paz no Oriente Médio enquanto a gente não compreender que a ONU foi a instituição multilateral que criou o Estado de Israel e tem a responsabilidade de trabalhar pela paz", disse. “A paz no Oriente Médio não depende do estado de espírito do governo americano ou dos governos europeus, é uma necessidade para a humanidade viver em paz”, completou."

FONTE: publicado hoje (26/03) no portal "Vermelho" [título extraído do texto e entre colchetes no 3º parágrafo colocados por este blog].

Um comentário:

Probus disse...

Abaixo tem um "pedrinha" no caminho ianque...

O ano passado, Gaddafi abandonou a reunião da cúpula dos Países Árabes depois de uma "pequenina" discussãoo...lógico né?? Contra as "colônias ianques" árabes... e Muammar abriu a ferida e jogou sal. O engraçado, é a quantidade de inimigos históricos reunidos. O "clima" lá deve estar quentinho...

Líderes árabes reúnem-se em cúpula na Líbia - 26/03/2010 19h28

Egito, Iraque, Jordânia, Líbano, Arábia Saudita, Síria, Iêmen, Líbia, Sudão, Marrocos, Tunísia, Kuwait, Argélia, Emirados Árabes, Bahrein, Qatar, Oman, Mauritânia, Somália, Palestina, Djibouti, Comores e Eritréia.

http://mais.uol.com.br/view/65k9fo807g7i/lideres-arabes-reunemse-em-cupula-na-libia-04021C3164D4818326?types=A&

Liga Árabe procura alternativas para o processo de paz

http://br.noticias.yahoo.com/s/reuters/100327/mundo/mundo_ormed_ligaarabe

Árabes: Israel deve anular construção de 1.600 casas se quiser negociar

http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/100327/mundo/__rabes_c__pula_om

ANO PASSADO

Gaddafi tentava acertar as diferenças com a Arábia Saudita, aliada dos EUA.

"Há seis anos você foge com medo da confrontação, e eu quero dizer que não tenha medo. Depois de seis anos, ficou provado que, com a cova diante de você, é o Reino Unido que fez você e os americanos que o protegem", disse Gaddaffi.

...o emir do Qatar, Hamad bin Khalifa al Thani, que dirigia a cúpula, gritou com Gaddafi, que fez acusação similar ao rei Abdullah na reunião de 2003.

Gadaffi continuou o discurso em um tom mais conciliatório e atraiu aplausos dos delegados.

"Pelo bem da nação (árabe), eu considero que o problema pessoal entre você e mim deve acabar e eu estou preparado para visitar você e receber uma visita sua", disse ele ao rei saudita.

"Eu sou o rei dos reis na África e líder dos fiéis e não poderia adotar outra posição", afirmou.

O emir se desculpou com Gaddafi pelo mau entendimento e lhe agradeceu.

Na cúpula árabe de 2003...

Kadafi criticou a família real saudita e a acusou de ser "agente da ocupação".

A Líbia é nação-irma do BraSil. O líder Líbio é tão ditador assim??

INDICO: Discurso de Gaddafi na ONU

http://www.youtube.com/watch?v=IhBiaV9yznU

Só não me pergunte quem é Santanelli, é um mistério...