sábado, 2 de janeiro de 2016

PAPA RECEBERÁ PROTESTO DA "GLOBO" E ABERT POR ATENTAR CONTRA A LIBERDADE DE IMPRENSA




[OBS deste blog 'democracia&política': 


A ABERT (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão) a "Globo" e toda a imprensa brasileira provavelmente deverão publicar duros editoriais e apresentar protesto formal ao Vaticano pelo atentado do Papa Francisco contra a liberdade de imprensa e, portanto, a democracia. O Papa incentivou publicamente o cerceamento a essa liberdade ao propor interferência no conteúdo, propugnando que a imprensa deva também abrir espaço para notícias positivas. 

Isso vai frontalmente contra a liberdade que a imprensa tem no Brasil de há treze anos somente publicar notícias negativas que contribuam para agravar crises políticas, econômicas e sociais. É uma livre, soberana e democrática decisão da meia dúzia de donos da mídia brasileira de assim agir até que a direita ["o mercado", por meio do PSDB por exemplo] volte ao pleno poder no país. Isso ainda não ocorreu integralmente e a imprensa quer prosseguir até o fim na sua estratégia, agora criticada pelo Papa. 

Ontem, sexta-feira (01), o "Jornal Nacional" já censurou essa mensagem agressiva à liberdade da imprensa proferida pelo Papa. A reportagem mencionou outros conceitos do discurso do Pontífice, mas omitiu flagrantemente o que se refere aos meios de comunicação abrirem mais espaço para histórias inspiradoras e positivas para contrabalançar a propagação somente do mal. 

Vejamos sobre o assunto a seguinte postagem do portal "Brasil 247"]:

MENSAGEM DO PAPA AOS URUBUS DA MÍDIA

"Em mensagem declarada na tradicional cerimônia da véspera de fim de ano na Basílica de São Pedro, na quinta-feira 31, o papa Francisco defendeu que os meios de comunicação precisam abrir mais espaço para histórias inspiradoras e positivas para contrabalançar a preponderância do mal, da violência e ódio no mundo. Segundo o pontífice, a mídia não deveria permitir que "grandes gestos de bondade" para ajudar os necessitados sejam "ofuscados pela arrogância do mal". No primeiro dia do ano, a "Folha de S. Paulo" [por exemplo] produziu a capa mais depressiva para um Ano Novo ao anunciar que 2,2 milhões de brasileiros perderão seus empregos em 2016. O jornal publicou ainda um editorial intitulado "Poucas esperanças".

Do "Brasil 247"

Em sua terceira cerimônia pelo Ano Novo, o papa Francisco defendeu, na quinta-feira 31, que os meios de comunicação precisam abrir mais espaço para histórias inspiradoras e positivas para contrabalançar a preponderância do mal, da violência e ódio no mundo.

A mensagem foi dada a cerca de 10 mil fiéis em uma solene cerimônia tradicional às vésperas do fim de ano, o "Te Deum" de ação de graças, na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Para o pontífice, a mídia não deveria permitir que "grandes gestos de bondade" para ajudar os necessitados sejam "ofuscados pela arrogância do mal".

Um dia depois do discurso do papa, a "Folha de S. Paulo" [por exemplo]  produziu a capa mais depressiva para um Ano Novo, neste 1º de janeiro de 2016, ao prever que 2,2 milhões de brasileiros deverão perder seus empregos em 2016 e anunciar que o "mercado de trabalho só deve começar a se recuperar em 2018" [após a eleição], segundo especialistas.

O jornal da família Frias também assina um editorial intitulado "Poucas esperanças", no qual afirma que "pelo menos no que diz respeito à economia, o ano que ora começa carrega poucas esperanças de renovação" e que "a crise de 2015, infelizmente, continuará presente em 2016".

Leia abaixo reportagem da [agência norte-americana de notícias]
 "Reuters" sobre a mensagem do papa:

Mídia precisa dar mais espaço para boas notícias, diz papa após ano sombrio

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - Os meios de comunicação precisam abrir mais espaço para histórias inspiradoras e positivas para contrabalançar a preponderância do mal, da violência e ódio no mundo, disse o papa Francisco na quinta-feira em sua mensagem de fim de ano.

Francisco recebeu cerca de 10 mil fiéis em uma solene cerimônia tradicional às vésperas do fim de ano, o "Te Deum" de ação de graças, na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Em sua breve homilia, Francisco disse que o ano encerrado foi marcado por muitas tragédias.

"Violência, morte, sofrimento indizível de tantas pessoas inocentes, os refugiados forçados a deixar seus países, homens, mulheres e crianças sem lar, alimentos ou meios de subsistência", afirmou.

Mas ele disse que também houve "muitos grandes gestos de bondade" para ajudar os necessitados" [como por exemplo o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida no Brasil] mesmo que eles não apareçam em programas noticiosos da televisão (porque) as coisas boas não fazem notícia".

Ele disse que a mídia não deveria permitir que tais gestos de solidariedade sejam "ofuscados pela arrogância do mal".

O papa argentino, em sua terceira cerimônia pelo ano-novo desde sua eleição em 2013, condenou a "sede insaciável de poder e a violência gratuita que o mundo viu em 2015".

FONTE: do portal "Brasil 247"   (http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/211673/A-mensagem-do-papa-aos-urubus-da-m%C3%ADdia.htm)  [Título e trechos entre colchetes acrescentados por este blog 'democracia&política']. 

3 comentários:

van dantas disse...

O PAPA tem tda razão ao falar isso, nós ouvimos e lemos só coisas negativas pelas mídias falada e escritas, como se nada de bom estivesse acontecendo no mundo. Só mostram guerras, estrupos, propagandas da bandidagem, de big brother de todo tipo de emporcalhamentos para o povo consumir, e ter todos os fatos como informação verdadeira. Tenho nojo destas mídias sem escrúpulos, Pobres daqueles que ainda caem nestas armadilhas. é isso ai Francisco!

van dantas disse...

O PAPA tem tda razão ao falar isso, nós ouvimos e lemos só coisas negativas pelas mídias falada e escritas, como se nada de bom estivesse acontecendo no mundo. Só mostram guerras, estrupos, propagandas da bandidagem, de big brother de todo tipo de emporcalhamentos para o povo consumir, e ter todos os fatos como informação verdadeira. Tenho nojo destas mídias sem escrúpulos, Pobres daqueles que ainda caem nestas armadilhas. é isso ai Francisco!

Tereza Braga disse...

Ao Van Dantas,
Concordo plenamente.
É isso aí, Francisco!
Maria Tereza