quinta-feira, 29 de agosto de 2013

A QUALIDADE DA SAÚDE CUBANA, vista pelo cineasta Michael Moore (EUA)

[Michael Francis Moore (Flint, 23 de abril de 1954) é cineasta, documentarista e escritor estadunidense. Ganhou o Oscar de Melhor Documentário, por "Tiros em Columbine" (2002)].

“No seu documentário “Sicko SOS Saúde”,o cineasta e diretor Michael Moore fala sobre a comparação do sistema de saúde americano com outros sistemas de saúde totalmente públicos e com qualidade, entre eles o de Cuba. Mostrando que a mortalidade infantil nesses países é menor que nos EUA, a expectativa de vida média é maior que a americana e os médicos formados na Ilha não visam um plano privado de negócios e sim servir ao povo e á vocação médica. 


Video legendado (10 min 32 s):



FONTE: portal “Vermelho”  (http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=222326&id_secao=1). [Título, imagem do Google e legenda entre colchetes acrescentados por este blog ‘democracia&política’].

Um comentário:

Unknown disse...

Em 1957, Cuba já tinha mais médicos per capita que os EUA, neste mesmo ano Cuba tinha: 80% de sua população alfabetizada; a participação da população no PNB era comparada aos países nórdicos, segundo dados da ONU. É só checar no site da ONU.
O que o golpe trouxe para os cabanos: quase 30% de sua população trabalha para o serviço espião cubano (vigiam quem é contra o regime); cerca de 100.000 mortos para implantação do regime; etc.
Quando vão começar a contar as verdades sobre o golpe?
"Somente o conhecimento liberta"...