segunda-feira, 10 de março de 2008

CADA SENADOR CUSTA R$ 34 MILHÕES POR ANO AO CIDADÃO BRASILEIRO!

Esse custo é absurdadamente imenso. Será que eles devolvem em bem para o país essa fortuna todos os anos neles investida com o dinheiro do pobre cidadão brasileiro? Será que os senadores Arthur Virgílio, José Agripino Maia e outros "demasiado televisivos" valem isso?

A ONG “Transparência Brasil” efetuou um novo estudo sobre os custos dos parlamentares para o contribuinte. Os nossos poderes legislativos federais e estaduais estão cada vez mais entre os mais caros do mundo.

O blog “Acerto de Contas”, em texto de André Raboni de 5 de março de 2008, informa:

“LEGISLATIVO CUSTARÁ MAIS CARO PARA O CIDADÃO EM 2008”

“O Legislativo brasileiro deve permanecer entre os mais caros do mundo para o cidadão em 2008, mostra um estudo feito pela ONG Transparência Brasil e divulgado ontem no site da entidade.

Do total de 54 casas legislativas analisadas, entre elas a Câmara dos Deputados, o Senado Federal, Assembléias Legislativas e Câmaras de Municipais das capitais brasileiras, apenas em 14 o reajuste do orçamento de 2008 será inferior à inflação. E apenas sete terão seu orçamento reduzido na comparação com o ano passado.

O orçamento para 2008 com maior reajuste é o da Assembléia Legislativa de Rondônia, que teve alta de 56,558% sobre o valor de 2007, para R$ 165,2 milhões. Ele é seguido de perto pelo orçamento da Assembléia Legislativa do Pará, com aumento de 55,03%, para R$ 195 milhões, e pela Câmara Municipal de Goiânia, com elevação de 46,36%, para R$ 60,7 milhões. A Assembléia de Pernambuco teve aumento de 9,50% e a Câmara do Recife, de 10,50%.

O orçamento da Câmara dos Deputados Federais também aumentou mais do que a inflação medida pelo IPCA no ano, de 4,46%, e teve alta de 4,59%, para R$ 3,54 bilhões. No caso do Senado Federal a elevação foi de 3,09%, para R$ 2,76 bilhões.

Levantamentos anteriores mostraram que o Legislativo brasileiro é o mais caro em um grupo de 12 países analisados. Cada habitante de capitais brasileiras gastou em média R$ 115 para manter os representantes das esferas municipal, estadual e federal em 2007.

Os moradores de Boa Vista (RO) são os que mais vão desembolsar neste ano para manter as quatro casas legislativas que os representam - no total, R$ 298,04 per capita. Em Macapá (AP) o montante chegará a R$ 209,11 em 2008. Em Florianópolis (SC) cada habitante vai gastar R$ 155,74 para ter sua representação na Câmara Municipal, na Assembléia Legislativa, na Câmara dos Deputados e no Senado. No Recife, o desembolso por habitante é de R$ 100,92. Em Aracaju (SE) o valor será de R$ 142,99 e em Campo Grande (MT), R$ 139,57. Os habitantes que serão menos penalizados nesse cálculo são os das cidades de Salvador (BA) e São Paulo (SP), respectivamente R$ 77,63 e R$ 73,88 per capita.

O parlamentar mais caro para o cidadão é o senador, cujo custo por mandato é de R$ 34 milhões. Em seguida, aparece o deputado da Câmara Legislativa do Distrito Federal, com R$ 11 milhões por mandato. Os deputados das Assembléias Legislativas de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Santa Catarina custam mais aos cidadãos do que os deputados da Câmara Federal - no total, R$ 6,9 milhões por mandato.”

QUADRO EM 2007

Essa situação piora o grave quadro já denunciado pela ONG “Transparência Brasil” há oito meses. Em 27/06/2007, a Folha Online já havia publicado que:

“ESTUDO REVELA QUE CONGRESSO NACIONAL GASTA R$ 11,5 MIL POR MINUTO"

“Levantamento inédito feito pela ONG Transparência Brasil revelou que o Congresso Nacional tem o custo mais alto para a população em comparação aos parlamentos de 11 países. De acordo com o estudo, o congresso brasileiro gasta R$ 11.545,04 por minuto com os 513 deputados e 81 senadores.

Com um orçamento de mais de R$ 6 bilhões para 2007, congresso brasileiro só perde em números totais para os Estados Unidos, que prevê gastos de R$ 8,1 bilhões neste ano nas duas casas legislativas. Porém, se levado em consideração os níveis de riqueza dos países pesquisados, o Brasil é o país que mais gasta com os parlamentares.

O custo do mandato de cada um dos 513 deputados federais é de R$ 6,6 milhões por ano. Já o custo anual de cada um dos 81 senadores é de R$ 33,1 milhões. Com base nesses números, o estudo mostrou que o custo médio com os 594 parlamentares é de R$ 10 milhões por ano.

Nos legislativos europeus mais o Canadá, a média do custo por parlamentar é de cerca de R$ 2,4 milhões por ano.

De acordo com o estudo, se o Congresso Nacional mantivesse o mesmo orçamento e gastasse um valor compatível com o europeu, o parlamento brasileiro deveria ter 2.556 parlamentares.

Para o coordenador de projetos da Transparência Brasil, Marcelo Soares, um dos pesquisadores do estudo, os números permitem concluir que o legislativo brasileiro gasta muito e de maneira que não traz resultados positivos à população.
"Isso [os gastos] é um luxo que o Brasil não pode se dar", afirmou o pesquisador. "Quanto mais reunimos informações sobre os gastos públicos, mais temos a impressão de que recebemos pouco pelo muito que se paga [aos parlamentares]", comentou.

Para Soares, o Congresso Nacional tem uma estrutura "luxuosíssima" que não tem parâmetros para comparar, pois nem os parlamentos de primeiro mundo gastam tanto com deputados e senadores.

CUSTO POR HABITANTE

O estudo revelou que o custo por habitante do Legislativo brasileiro é de R$ 32,49 por ano, e ocupa o terceiro lugar na lista dos países pesquisados. Os dois primeiros são Itália, que gasta R$ 64,46 e da França, com R$ 34 por habitante.”

Um comentário:

Unknown disse...

Porque nós brasileiros ficamos assistindo tudo isso e não fazemos nada, já tentei até organizar algo, mas existe uma trava anti protesto parece, e com isso pagamos os maiores impostos do mundo para o pessoal lá de cima ficar de boa ...
...peço que pensem nisso...